Bocadinhos de papel,

borboletas sonolentas,

às vezes esvoaçam loucas,

outras vezes caem lentas.

 

Uma a uma vão caindo

do ramo até ao relvado.

Brilham ao sol como ouro

ou choram no chão molhado.

 

Porque chegou o Outono,

as folhas não podem mais,

despedem-se e vão-se embora,

às árvores não voltam mais.

 

Mónica Tirabasso

 

publicado por salinhadossonhos às 22:30